AULA 18 (25/04) – MIRISOLA (5) – JOGOS DE PALAVRAS EM “HOSANA NA SARJETA”

Jeanne Hébuterne, pintada por Amedeo Modigliani (Refletindo sobre o suicídio de Paulinha Denise no final de Hosana na Sarjeta, MM lembra da pintora francesa que teve também morte trágica).

*

CACÓFATO

TROCADILHO / PARONOMÁSIA

ANACOLUTO

ENUMERAÇÕES

NONSENSE

GRADAÇÃO

*

no frigir da omelete” (121) (desconstrução de frases feitas, clichês)

“Todo mundo ficava besta com ela, e eu… ah, eu comia.” (18)

“Quer dizer, patetice interna, porque ninguém ficou sabendo que o caso era de amor eterno. Os joguinhos de palavras e trocadilhos persistiam, pensei em procurar dr. Reinaldo Moraes, mas entendi que dos males os trocadalhos eram os menores.” (65)

“admitir, enfim, que o anacoluto que eu maquinava tinha o nome mais bonito do mundo: Ariela.” (46)

(devido ao “hábito familiar”, à “mania de falar de uma coisa para chegar noutra, e somente depois voltar ao assunto inicial.” (45) “retórica enviesada que eu havia ajambrado para me enfiar na expedição [para o garimpo clandestino].” (46))

 

anacoluto: “‘o molho [de chaves], diga para o dr. Schmidt Vasconcelos enfiar o molho no rabo […]’” (110)

enumerações

“Enfrentei apaches, anões canibais, testemunhas de Jeová, seringueiros do PSTU, mocinhos & bandidos de todas as espécies, sucuris gigantescas, onças, górgonas, ciclopes, elefantes… tudo isso pra você.” (63)

“[Ariela] o [marido] traía com motoboys, lésbicas curitibanas, guardas rodoviários, dobermanns, chefes de almoxarifados, tenistas, hare-krishnas e sushi-mans.” (53)

“Além de corrupto, ecologista e ladrão, o sogro era ciumento e possessivo.” (95)

nonsense

– Feliz ano novo, Miriguela!

– Opa! Feliz 2005, Brecão.

– Dois mil e quanto?

– Caralho, depois de 2002 perdi a conta.

– Acho que é 2012.

– Tem certeza, Brecão?

– Deve ser, acho que sim. E a Paulinha?

– Que Paulinha?

– Tua mulher, maluco!

– Ah, tá trancada no banheiro, chorando.

– Por quê?

– Sei lá.

– E a Ritinha?

– Que Ritinha, amizadinha?

– A socialaite, Brecão.

– Socia… o que, Miriguela?

– Aquela que tem um pai ladrão que gosta de dar o rabo pro genro.

– Ah! Foi pra Acapulco.

– Pra onde?!

– Pra puta que pariu.

– Por quê?

– Sei lá.

gradação

“[…] e o contrário disso é amor também, só que transformado em aversão, ódio, traição, nojo, afronta, ridículo, desespero e, no final, solidão.” (106)

Solidão, dor, dom, nó. (122-123)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s